Abandono acadêmico e contexto familiar frente à educação superior privada

Dentre os principais problemas relacionados à educação superior em nível mundial, a questão da permanência na universidade passa a ser um tema de extrema relevância, bem como o abandono, o qual consiste em um problema multifatorial, que envolve inúmeros aspectos. Sendo assim, o papel exercido pela f...

Full description

Main Authors: Steren dos Santos, Bettina, Davoglio, Tárcia Rita, Homem, Mariangela Pozza, Fraga, Ingrid, Texeira Fuao, Caroline
Format: Artículo
Language: Español
Published: Universidad Tecnológica de Panamá 2016
Subjects:
Online Access: http://revistas.utp.ac.pa/index.php/clabes/article/view/1137
http://ridda2.utp.ac.pa/handle/123456789/1574
Summary: Dentre os principais problemas relacionados à educação superior em nível mundial, a questão da permanência na universidade passa a ser um tema de extrema relevância, bem como o abandono, o qual consiste em um problema multifatorial, que envolve inúmeros aspectos. Sendo assim, o papel exercido pela família é fundamental para a consolidação da autonomia, da identidade e da adaptação a contextos psicossociais que se apresentam ao longo do processo de desenvolvimento. Para o adulto jovem, a transição do ensino médio para o ensino superior, bem como a permanência nesse último, representa período marcado por desafios, cujo apoio familiar pode ou não ser facilitador frente às exigências e demandas da Educação Superior. Esta pesquisa quantitativa transversal visa descrever e analisar características sociodemográficas, acadêmicas e familiares de estudantes de uma instituição de educação superior brasileira privada, considerando o abandono e/ou a transferência de curso, instituição ou sistema universitário. Com base em um protocolo de pesquisa mais amplo que investiga a motivação, a permanência e o abandono de estudantes universitários, a amostra foi composta exclusivamente por aqueles que dependem da família para custear seus estudos. Desse modo, foram incluídos 309 estudantes, com idade média inferior a 25 anos, masculinos e femininos, que cursam entre o 4° e 7° semestre de diferentes cursos de graduação. O referencial teórico está baseado na Teoria da Autodeterminação (Self Determination Theory), a qual aborda a motivação na sua perspectiva qualitativa, focando aspectos intrínsecos e extrínsecos que a constituem, indispensáveis para o comportamento autônomo e motivado. Os resultados apontaram baixos percentuais de transferência e intenção de abandono entre os participantes, permitindo a reflexão acerca do papel da família na inserção dos jovens no sistema universitário privado.