O FIO DA MEMÓRIA: AS PAISAGENS DO BRASIL HOLANDÊS

O objetivo deste texto é estudar a constituição do olhar holandês a partir da visualização da paisagem colonial nas telas dos pintores Frans Post e Albert Eckhout. Um dos temas escolhidos para este trabalho foi o estudo do conceito de memória por meio das imagens do Brasil holandês, sabe-se que os a...

Descripción completa

Autor Principal: Dantas de Oliveira, Francisco Isaac
Formato: Artículo
Idioma: Portugués
Publicado: Universidad de Costa Rica 2014
Acceso en línea: http://revistas.ucr.ac.cr/index.php/dialogos/article/view/12962
http://hdl.handle.net/10669/19152
Sumario: O objetivo deste texto é estudar a constituição do olhar holandês a partir da visualização da paisagem colonial nas telas dos pintores Frans Post e Albert Eckhout. Um dos temas escolhidos para este trabalho foi o estudo do conceito de memória por meio das imagens do Brasil holandês, sabe-se que os artistas envolvidos no projeto colonial neerlandês buscaram entender este “mundo” pelos conceitos naturais e humanos representados nas pinturas destes. Eles foram os primeiros pintores a retratarem as paisagens americanas com sua gente. Para compreender tal visão é de suma importância estudar as imagens imaginárias que foram erigidas por Post e Eckhout. Vamos utilizar primordialmente como fonte (visual) de pesquisa duas telas: O carro de bois de 1638 e Mameluca de 1643, todas as imagens foram produzidas quando Frans Post e Albert Eckhout estiveram na América holandesa integrando a comitiva do governador João Maurício de Nassau. Buscaremos trabalhar com uma metodologia que privilegie a leitura de fontes primárias visuais para assim compreendermos a paisagem colonial.